Milhares de fiéis lotaram o quartel do 1° Grupamento de Bombeiros Militar (1°GBM), nas comemorações em homenagem a Santa Bárbara, nesta quarta-feira (4). As festividades começaram com uma missa campal, seguida da procissão e do tradicional caruru. Cerca de 150 militares trabalharam durante o evento.

Foram utilizados cerca de 10 mil quiabos, para as 1.500 quentinhas distribuídas no quartel. “Todos os anos fazemos essa festa para manter viva a tradição de Santa Bárbara. Ela é nossa padroeira e tem uma história de luta e doação, nós, bombeiros, existimos para nos doar e pedimos que ela nos proteja diariamente”, disse o comandante-geral do CBMBA, coronel BM Francisco Telles.

Os devotos tomaram banho de água benta lançada pela vovó, a primeira viatura de combate a incêndio do CBMBA, do ano de 1912. “Venho todos os anos para essa festa linda. Sou devota de Santa Bárbara e esse é o momento de renovar a minha fé e depois comer esse caruru que é delicioso”, explicou a vendedora Ana Maria Gonçalves.

História- Há décadas o Mercado de Santa Bárbara, no Centro Histórico de Salvador, pegou fogo, a imagem foi levada então para o quartel da Barroquinha, onde permaneceu até a reestruturação do imóvel danificado.

Devotos pediram proteção à santa para que os bombeiros militares conseguissem combater as chamas, o que foi alcançado. Desde então, a imagem entra no quartel durante a procissão, em sinal de respeito e agradecimento.

Patrimônio Imaterial do Estado, a Festa de Santa Bárbara abriu nesta quarta-feira (4), o calendário baiano de festejos populares. “É muito gratificante fazer parte, mais uma vez, desse momento de fé e devoção”, concluiu o tenente-coronel Adson Marchesini, que organizou, pela 11ª vez o evento, que teve o Capelão Dimas, celebrando a missa no quartel da Barroquinha.

Padroeira dos bombeiros – Santa Bárbara é a protetora de todos os que trabalham com material explosivo. Os bombeiros, por trabalharem com o fogo, e por vezes com situações como desabamentos provocados por tempestades ou incêndios provocados por raios, situações que os bombeiros também atuam. Por isso, eles foram também absorvidos como “afilhados” de Santa Bárbara, na devoção popular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.