A evidente falta de acessibilidade para todos os tipos de corpos nos ônibus de Salvador fez mais uma vítima. Desta vez, a coordenadora nacional do Movimento Vai Ter Gorda, Adriana Santos, sentiu na pele a situação. Ao tentar acessar um coletivo na manhã da quinta-feira (21/01), no bairro Itaigara, ela não conseguiu passar pela catraca como todos os demais passageiros que utilizam a porta de embarque. Adriana tentou passar por quatro vezes no torniquete do ônibus que fazia a linha Pituba x Santa Mônica sem sucesso. Ela contou com o apoio dos rodoviários que permitiram o acesso dela ao ônibus pela porta de desembarque. O *Movimento Vai Ter Gorda participou da criação do projeto de lei 303/2019 do vereaddor Hélio Ferreira (PC do B)* que garante o acesso aos ônibus. O projeto que ainda aguarda aprovação por parte do Executivo Municipal, prevê o acesso de pessoas gordas pela porta de desembarque.

Fonte: Paulo Arcanjo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.