Nesta quinta-feira(14), recebemos uma denuncia Sobre o levantamento de um muro que estaria sendo construído de forma irregular para fechar uma via que seria pública que dá acesso ao Parque Santa Rita em Itinga. Ao chegar no local, ouvimos pessoas que se mostraram totalmente indignadas com a obra que eles julgam ser ilegal.  Os moradores informam que a via existe há mais de 20 anos, desde a fundação do Parque Santa Rita, e agora “do nada fecham na surdina da noite”. Ainda de acordo com os transeuntes, adultos, jovens e crianças que utilizam a “rua” para ir e voltar da escola, creche, igreja, fazer compras, etc, estão se sentindo prejudicados e terão que fazer um percusso maior  para sair ou entrar no conjunto.

Uma moradora por nome Maiara que utiliza a via para levar os filhos para Escola Santa Rita não entende como tal fato pode acontecer:
“Eu nunca vi isso, essas coisas só acontecem no bairro de Itinga. Cadê Moema que não vê uma coisa dessas? Será que ela vai permitir o fechamento de uma via pública que vai prejudicar todo um loteamento para beneficiar uns gatos pingados?”

O dono de um comércio que não quis se identificar, fala:
Isso aí é uma palhaçada! Se  obra fosse legal, já teria sido feito há anos atrás e não somente agora, isso parece que é para atender a necessidade de uma pessoa. Essa semana um coroa xingando e falando iria murar a p**** toda. Eu temo que o movimento em minha loja diminua. Vou na prefeitura denunciar porque assim é que não pode ficar”

Antônio que mora dentro do Parque Santa Rita também não gostou da iniciativa:
Tá vendo o brega em que está se transformando toda a Lauro de Freitas? Todo mundo faz o que quer e essa prefeita não faz nada. Por aqui eu tinha acesso mais fácil ao Largo do caranguejo e agora vou ter que fazer um arrodeio danado”

Confira a reportagem veiculado no Site Itinga TV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.