Crime aconteceu na véspera do Natal, no Rio de Janeiro

Paulo José Arronenzi, engenheiro que matou a facadas sua ex-mulher, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, teve R$ 640 mil bloqueados de sua conta por determinação da Justiça do Rio de Janeiro, que entendo que, por ter cidadania italiana, o assassino poderia, mesmo preso, transferir dinheiro para o país europeu por meio da ajuda de terceiros. O dinheiro agora passa a ficar disponível para uma futura indenização por danos morais.

O pedido de bloqueio foi feito pelas três filhas do casal, todas menores de idade, em nome da avó, e concedido neste sábado (26) pelo juiz João Guilherme Chaves Rosas Filho durante o Plantão Judiciário. O processo está sob segredo de Justiça.

O crime ocorreu na quinta-feira (24), véspera de Natal, na frente das filhas do casal, duas gêmeas de 7 anos e uma de 9 anos, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Toda a cena foi registrada testemunhas. O corpo de Viviane foi cremado na manhã deste sábado (26) no bairro do Caju, na região central da capital fluminens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.