Vereador do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, é apontado pela Polícia Federal como um dos articuladores de um esquema criminoso de fake news, conforme apuração do Supremo Tribunal Federal (STF). A informação foi divulgada na tarde deste sábado (25) pela Folha de São Paulo.

O presidente vinha cobrando informações nos últimos meses sobre as investigações a Maurício Valeixo, demitido da diretoria-geral da PF nesta sexta, 24. Segundo a Folha, Valeixo teria resistido ao assédio de Bolsonaro.

De acordo com a publicação, dentro da PF não há dúvidas de que Bolsonaro pressionou Valeixo – homem de confiança do ex-ministro Sérgio Moro – porque sabia que a investigação havia alcançado Carlos Bolsonaro.

Ainda conforme a Folha, para o presidente da República, a saída de Valeixo facilitaria o acesso a informações relacionadas à investigação e até mudança no quadro de delegados da PF. Logo após Moro pedir demissão da chefia da pasta de Justiça, o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito aberto em março de 2019, determinou que a PF mantenha os delegados do caso.

Procurado pela Folha, o chefe de gabinete de Carlos Bolsonaro não respondeu aos contatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.