“Eu não sou um monstro, eu não sou um bicho. Eu sou um ser humano qualquer”. A declaração exclusiva ao jornal CORREIO foi feita por Jasiane Silva Teixeira, a Dona Maria, apontada pela Polícia Civil como a maior traficante do estado.

Líder da facção Bonde do Neguinho (BDN), ela foi apresentada à imprensa, na manhã desta segunda-feira (30), na sede da Polícia Civil, na Piedade. Após ser descoberta em São Paulo, ela acabou presa junto com o namorado, uma das lideranças do Primeiro Comando da Capital (PCC). 

Após a coletiva, falou sobre sua situação e negou o vulgo a ela atribuído. “Meu nome é Jasiane Silva Teixeira. Desconheço esse vulgo Dona Maria. Se eu quisesse um vulgo, não seria esse. Isso foi através de uma escuta telefônica. Meu finado marido fazendo uma brincadeira, e já saiu uma reportagem assim que ele morreu [dizendo] ‘viúva de fulano de tal, Dona Maria’… Desconheço esse vulgo. Foi através de uma escuta telefônica. E a partir daí colocaram uma fama em mim da qual eu desconheço”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.