A licitação para as obras de requalificação dos trechos de orla de Stella Maris, Flamengo e Ipitanga foi publicada, nesta sexta-feira (27), no Diário Oficial do Município (DOM). As intervenções, comandadas pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), é o maior projeto de extensão das áreas litorâneas da cidade.

As obras têm previsão para serem concluídas em 18 meses e vai custar R$ 41 milhões, como parte dos recursos resultados do Programa do Desenvolvimento do Turismo (Prodetur). Para complementar a requalificação, foi lançada, também, licitação para contratação de serviço de consultoria para elaborar, desenvolver e implementar um Plano para Certificação Ambiental das praias.

De acordo com projeto de requalificação elaborado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), a morfologia natural da área vai sofrer o mínimo de intervenção possível, o que, segundo a Secult, garante a a acessibilidade às áreas públicas e às praias, além do respeito ao meio ambiente e preservação das dunas do local.

“Essa intervenção vai transformar a região de Stella Maris, Flamengo e Ipitanga. Se, por um lado, vai melhorar a infraestrutura para quem mora por aqui, com implantação de quadras esportivas, pistas de patins e skate e parques infantis, por outro vai fortalecer ainda mais o turismo dessa região, qualificando os espaços e facilitando os acessos para os visitantes”, destacou o prefeito ACM Neto.

A Prefeitura ainda afirmou que obra preserva as características originais, como a manutenção do cordão de dunas além da recomposição e manutenção da cobertura de restinga. “ Ganham os moradores, os visitantes da cidade, os comerciantes e também os turistas”, disse secretário municipal de Cultura e Turismo, Claudio Tinoco.

As intervenções envolvem, também, a construção de ciclovias, quadra de futebol, de vôlei, poliesportiva, pista de patins, espaços de convivência, pista de skate, espaço para ioga, parques infantis, centro de apoio ao surfista, sanitários públicos, quiosques, além de módulos de apoio aos salva-vidas, dentre outros.

Já a implementação do Plano para Certificação Ambiental tem como objetivo, de acordo com a Secult, as praias obterem a Certificação Internacional Bandeira Azul, selo internacional da Foundation for Environmental Education (FEE) de certificação para praias, marinas e embarcações de turismo. O selo atesta a qualidade das principais praias ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.