Após ser acusado de ter supostamente agredido e ameaçado a ex-mulher de morte, o humorista e roteirista Psiti Mota rompeu o silêncio e se defendeu, nesta segunda-feira (16), das acusações da ex-mulher, Mariana de Oliveira Faria, com quem conviveu durante o período de quatro anos e gerou um filho. De acordo com ele, os laudos provam a inocência.

“Eu tenho os laudos provando que nunca houve nenhuma agressão, exatamente porque eu sou um cara que milita a favor das mulheres. Eu sou contra a qualquer tipo de agressão à mulher, sou especialista em violência no ambiente educacional, dou aula sobre isso, falo sobre isso o tempo inteiro”, desabafou.

Segundo nota divulgada pela assessoria do humorista, a suposta herdeira do jornal Folha de São Paulo vem utilizando meios ‘escusos’ para afastá-lo do filho.

“Único objetivo de Mariana é me afastar do meu filho, tomar a guarda dele e ganhar uma pensão. A minha ex-mulher deseja ir para o Japão e levar o nosso filho juntamente com ela, fazendo com que Bento não tenha mais contato comigo, nem com a minha família. Para isso, ela usou meios escusos para me atingir e abusou da boa fé da nossa Polícia e da nossa Justiça para me prejudicar perante a lei e ‘tomar para ela’ a nossa inocente criança”, disse.

Em junho, o poder Judiciário do Estado Bahia determinou que o humorista utilize tornozeleira eletrônica e mantenha uma distância mínima de 200 metros da ex-esposa nos próximos 90 dias. No entanto, ele recorreu no Supremo Tribunal Federal (STF) com pedidos de habeas corpus para tentar derrubar as restrições impostas. Apesar da situação, Psiti afirma que confia no bom-senso da Justiça.

“Eu não vejo meu filho há mais de 210 dias. Estou desesperado e morrendo de saudade. Ela fez falsas acusações para me prejudicar e como forma de pressionar, pois eu nunca aceitei que ela levasse nosso filho para outro país, longe de mim e da saudável e necessária convivência com a família, os avós e tios. Ela já insiste em levar Bento para fora do Brasil há quatro anos, e como eu nunca cedi e ela nunca conseguiu autorização judicial para tal ação, Mariana resolveu fazer Boletins de Ocorrência na Polícia com mentiras e com o intuito de prejudicar a minha imagem como pai, como pessoa, como ser humano e com artista. Eu confio na nossa Justiça e tenho certeza de que será esclarecido. Só quero amar e ser amado por meu filho”, comentou.

Confira a nota na íntegra:

Eu, Pisit Mota, pai, empresário, humorista , ator e roteirista venho, por meio desta nota, rechaçar as acusações da minha ex-mulher, Mariana de Oliveira Faria, que também é mãe do meu Filho, Bento, de 4 anos, de que eu a agredi fisicamente e a ameacei de morte, como foi noticiada por alguns veículos de imprensa baiana. Venho aqui afirmar que o único objetivo de Mariana é me afastar do meu filho, tomar a guarda dele e ganhar uma pensão.

A minha ex-mulher deseja ir para o Japão e levar o nosso filho juntamente com ela, fazendo com que Bento não tenha mais contato comigo, nem com a minha família. Para isso, ela usou meios escusos para me atingir e abusou da boa fé da nossa Polícia e da nossa Justiça para me prejudicar perante a lei e “tomar para ela” a nossa inocente criança.

“Eu tenho os laudos provando que nunca houve nenhuma agressão, exatamente porque eu sou um cara que milita a favor das mulheres. Eu sou contra a qualquer tipo de agressão à mulher, sou especialista em violência no ambiente educacional, dou aula sobre isso, falo sobre isso o tempo inteiro”.

Mariana fez, ao todo, nove boletins de ocorrência com mentiras e, antes mesmo da investigação por parte da polícia, ela entrou com uma ação judicial exigindo a guarda de Bento, a proibição da minha visita e o meu afastamento dela. De antemão, já afirmo que em sete das nove acusações registradas na polícia, nada foi confirmado. A intenção dela é, exclusivamente, com o intuito de me prejudicar. Em momento algum ela está pensando no nosso filho. E, mesmo a contragosto e tendo no meu íntimo que as acusações são falsas, eu nunca infringi o que foi determinado pela Justiça.

“Eu não vejo meu filho há mais de 210 dias. Estou desesperado e morrendo de saudade. Ela fez falsas acusações para me prejudicar e como forma de pressionar, pois eu nunca aceitei que ela levasse nosso filho para outro país, longe de mim e da saudável e necessária convivência com a família, os avós e tios. Ela já insiste em levar Bento para fora do Brasil há quatro anos, e como eu nunca cedi e ela nunca conseguiu autorização judicial para tal ação, Mariana resolveu fazer Boletins de Ocorrência na Polícia com mentiras e com o intuito de prejudicar a minha imagem como pai, como pessoa, como ser humano e com artista. Eu confio na nossa Justiça e tenho certeza de que será esclarecido. Só quero amar e ser amado por meu filho”.

Atenciosamente,

Pisit Mota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.