Helton foi preso na Rua São Clemente, também em Botafogo. Ele estava com o mesmo casaco utilizado no dia do crime e ainda com o celular da vítima e a chave do quarto onde praticou o estupro.

Antes das acusações de estupro, Pacheco já havia sido preso por outros crimes cometidos com arma de fogo. Em setembro de 2013, ele foi detido por PMs junto com um comparsa após usar um revólver para roubar uma moto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Na ocasião, segundo a denúncia do Ministério Público, Pacheco teria encostado o cano da arma na cabeça da vítima, “exigindo saber qual era o segredo da motocicleta, afirmando que, se não fosse revelado o segredo, a mataria”. Em depoimento, o homem admitiu o crime, disse que, de fato, estava armado e anunciou o assalto, mas alegou que a arma não tinha munição. Em novembro de 2014, Helton foi condenado a 5 ano e 6 meses de prisão pelo roubo.

Agora, preso novamente, o homem ainda vai respondeu por mais um estupro: após ser levado para a delegacia, Pacheco foi reconhecido por outra vítima de 17 anos, que relatou ter sido abordada pelo criminoso, em 2019, na Praça Cardeal Arcoverde, em Copacabana, e obrigada a acompanhar o autor até a Rua Doutor Xavier Sigaud, em Botafogo, onde foi violentada sexualmente.

 

Já no crime mais recente, Pacheco é acusado de abordar a estudante em Copacabana e obrigá-la a caminhar até um ponto de ônibus em Botafogo. Ele também disse que portava uma arma. Os dois, então, embarcaram num ônibus até o Centro. Ao chegar no hotel, ele mostrou à recepcionista a chave do quarto e conseguiu entrar com a jovem em uma suíte no quarto andar. Após o estupro, o criminoso embarcou com a estudante em um ônibus e a libertou na Praia de Botafogo.

Helton foi preso na Rua São Clemente, também em Botafogo. Ele estava com o mesmo casaco utilizado no dia do crime e ainda com o celular da vítima e a chave do quarto onde praticou o estupro.

Antes das acusações de estupro, Pacheco já havia sido preso por outros crimes cometidos com arma de fogo. Em setembro de 2013, ele foi detido por PMs junto com um comparsa após usar um revólver para roubar uma moto em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Na ocasião, segundo a denúncia do Ministério Público, Pacheco teria encostado o cano da arma na cabeça da vítima, “exigindo saber qual era o segredo da motocicleta, afirmando que, se não fosse revelado o segredo, a mataria”. Em depoimento, o homem admitiu o crime, disse que, de fato, estava armado e anunciou o assalto, mas alegou que a arma não tinha munição. Em novembro de 2014, Helton foi condenado a 5 ano e 6 meses de prisão pelo roubo.

Agora, preso novamente, o homem ainda vai respondeu por mais um estupro: após ser levado para a delegacia, Pacheco foi reconhecido por outra vítima de 17 anos, que relatou ter sido abordada pelo criminoso, em 2019, na Praça Cardeal Arcoverde, em Copacabana, e obrigada a acompanhar o autor até a Rua Doutor Xavier Sigaud, em Botafogo, onde foi violentada sexualmente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.