Após o Ministério Público Federal (MPF) prestar denúncia contra, a Justiça Federal transformou o ex-ministro Geddel Vieira Lima e mais 18, em réus por uma suposta fraude em contas bancárias de clientes e na utilização do dinheiro para melhorar o balanço de 2012. A ação tramitará na 12º vara do Distrito Federal.

Entre os acusados da ‘pedalada’ estão os ex-presidentes da Caixa Econômica Federal (CEF) Maria Fernanda Coelho, Jorge Hereda, Édilo Valadares, Clarice Coppetti, Fábio Lenza, enquadrados nos crimes de divulgação de informação prejudicial sobre instituição financeira, indução a erro investidor ou o poder público sobre situação financeiro e omissão de elemento exigido pela legislação em demonstrativos contábeis de instituição financeira.

Segundo o MPF, em operação implementada entre os anos de 2010 e 2012, os dirigentes da Caixa autorizaram o “encerramento de 525.527 contas de caderneta de poupança, à revelia dos respectivos titulares e sem comunicação ou consulta ao Banco Central”. “As quantias depositadas nas contas encerradas perfizeram cerca de R$719 milhões, que foram direcionados para a subconta de resultado denominado “Outras Receitas Operacionais”, de modo que tal considerável montante, uma vez recolhidos os tributos devidos, terminou por elevar o lucro contabilizado pela instituição financeira, no balanço anual de 2012, em cerca de R$ 420 milhões”, acrescenta o órgão.

As irregularidades foram noticiadas em auditoria realizada pela Controladoria-Geral da União (CGU) nas Demonstrações Contábeis de 2012. (BN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.