O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 15, que já foi feita a sua parte quanto ao caos na rede de saúde de Manaus, em que pacientes estão morrendo por asfixia devido à falta de oxigênio nos hospitais. Segundo ele, foram enviados recursos e outros meios ao Amazonas para o enfrentamento do novo coronavírus.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, admitiu o “colapso” na saúde de Manaus. Já o vice-presidente, Hamilton Mourão, saiu em defesa do governo, dizendo que não era possível prever a situação e que estão fazendo ‘além do que podem’. “O governo está fazendo além do que pode dentro dos meios que a gente dispõe”, disse Mourão.

“A gente está sempre fazendo o que tem que fazer, né? O problema em Manaus é terrível. Fizemos a nossa parte, com recursos e meios”, afirmou Bolsonaro, a apoiadores no Palácio da Alvorada, citando também a ajuda das Forças Armadas ao levar insumos ao Estado.

“O ministro da Saúde esteve lá na segunda-feira e providenciou oxigênio, começou o tratamento precoce, que alguns criticam ainda”, completou.

O estoque de oxigênio acabou em vários hospitais de Manaus na quinta-feira, 14, segundo relatos de médicos. O governo federal anunciou que nesta sexta-feira, 15, começou a transferir pacientes para outros Estados e pediu ajuda aos Estados Unidos com o fornecimento de um avião adequado para levar cilindros a Manaus.

Nesta quinta-feira, 14, ao lado de Bolsonaro, Pazuello afirmou que quanto a situação em Manaus, “a responsabilidade é da prefeitura e do governo”. Ele admitiu que a cidade vive um “colapso” na situação do atendimento de saúde, mas disse que o ministério “apoia em todos os aspectos”.

De acordo com Pazuello, a capital do Estado vive esta situação em razão de um conjunto de fatores logísticos, de infraestrutura e de recursos humanos, que dificultam a resposta à crise sanitária. Ao traçar o panorama da situação, entretanto, o ministro também citou o período chuvoso na região e a falta de uma “efetiva ação” no “tratamento precoce” da Covid-19.

Na ocasião, o presidente fez questão de elogiar Pazuello. “Tem gente que está morrendo no canto do hospital, como se estivesse morrendo afogado. Imediatamente, as coisas são resolvidas”, afirmou Bolsonaro.

Em ação civil pública ajuizada nesta quinta-feira, 14, na Justiça Federal de Manaus, cinco órgãos públicos federais e estaduais citaram que a responsabilidade por dar uma solução ao colapso no fornecimento de oxigênio no Amazonas é do governo federal. A ação foi ajuizada por representantes do Ministério Público Federal (MPF), Defensoria Pública da União (DPU), Ministério Público do Estado do Amazonas, Defensoria Pública do Estado do Amazonas e Ministério Público de Contas do Estado do Amazonas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.