O prefeito eleito Bruno Reis (DEM) deve contar com membros remanescentes da gestão ACM Neto (DEM). O novo desenho do Palácio Thomé de Souza deve manter Luiz Carreira na Casa Civil e Leo Prates (PDT) na pasta da Saúde. O segundo, inclusive, exigiu a substituição de toda a equipe que herdou de um dos antecessores, José Antonio, por gente de sua confiança para permanecer no posto. Está também, entre eles, o diretor financeiro da Sempre (Promoção Social), Décio Martins.

Na futura equipe, segue indefinido o próximo titular da Fazenda, atualmente comandada por Paulo Souto (DEM). O cargo pode ir tanto para o atual chefe da Secretaria de Gestão, Tiago Dantas, quanto para Sérgio Guanabara, hoje da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur).

O PSDB pode indicar um novo nome para a Educação. O partido, que já comanda a pasta, deve abrir mão da permanência de Bruno Barral por outro nome, que pode ser a do atual prefeito de Mata de São João, Marcelo Oliveira. A legenda tucana é comandada na Bahia pelo prefeito eleito do município, João Gualberto, que quer emplacar uma nova função para o correligionário.

Na Câmara, alguns nomes devem subir. O vereador reeleito Cláudio Tinoco (DEM) permanece forte para a pasta da Cultura e Turismo, assim como o do colega Kiki Bispo para a Secretaria de Promoção Social (Sempre). A idéia, no entanto, é aproveitar apenas um dos dois nomes no governo. O outro ficaria para um papel estratégico na Câmara Municipal. Com a ida de um dos dois democratas para o secretariado, o vereador suplente Palhinha (DEM) poderia tomar posse em 2021.

A grande expectativa, agora, é sobre qual lugar será reservado ao Republicanos – que pleiteia pelo menos duas pastas. Nos bastidores até bem pouco tempo atrás, a sigla era cotada justamente para a Educação. Com a eventual mudança de planos, Bruno Reis deverá reservar outro espaço robusto para o grupo. O vereador Luiz Carlos, que recentemente anunciou candidatura à vice-presidência da Câmara, é o mais cotado para subir. Ele garantiria a posse na Câmara de outro suplente ligado ao grupo, Alberto Braga, que comandou a Cogel.

Na Semop, o candidato mais forte é Alexandre Futuca, que deve vencer briga contra o indicado de Geraldo Jr., Adriano, diretor na pasta. Na tentativa de abrir espaço para gente egressa da iniciativa privada, sempre sinal de renovação, Bruno também conversa com Marcos Lessa, que dirigiu a Arena Fonte Nova. Ele poderia ir para uma pasta como assuntos estratégicos ou Desenvolvimento Econômico.

MAIS NOMES

Nos bastidores, também corre a especulação sobre quem dos atuais integrantes da Prefeitura de Salvador continuará caminhando ao lado de ACM Neto (DEM) na corrida para o Governo do Estado em 2022. Luciano Ribeiro, atual secretário do prefeito, deve continuar na atividade de articulador político de Neto no interior, onde, nestas eleições, ajudou na conquista de Prefeituras grandes e na retomada de outras consideradas importantes para a futura disputa.

Já o atual chefe de Gabinete, Kaio Moraes, vai cuidar da parte administrativa do escritório, mexendo, basicamente, com a papelada, tarefa na qual dizem que, nos últimos meses, se revelou um gênio incomparável no Thomé de Souza. As informações são do site Política Livre. (TRBN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.