A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quarta-feira (2/9), a operação Falso Samaritano, que tem como objetivo combater fraudes no auxílio emergencial, pago pelo governo durante a pandemia da covid-19. As diligências apontaram que um homem utilizava dados pessoais de cidadãos para se cadastrar nos aplicativos da Caixa Econômica Federal e receber os recursos.

De acordo com a PF, ele também ameaçou divulgar dados pessoais do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, quando ele afirmou que intensificaria a fiscalização para evitar este tipo de prática. Um mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara Federal Cível e Criminal de Varginha-MG.
Informações levantadas pela reportagem do Correio apontam que outros eventuais fraudadores estão sendo investigados e que diversos registros de roubo do auxílio emergencial estão ocorrendo em todo o país.
Os criminosos agem com os dados das vítimas, acessam o aplicativo Caixa Tem no dia do pagamento feito pela governo e pagam um boleto bancário — fazendo com que o dinheiro saia da conta virtual do beneficiário e vá parar nas mãos dos delinquentes. (correiobraziliense)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.