O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou nesta sexta-feira (28), o afastamento imediato do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), do cargo. Segundo o STJ, a medida acontece por irregularidades na saúde. Assume o estado o vice-governador, Cláudio Castro (PSC).

O órgão também expediu um mandado de prisão contra o Pastor Everaldo, presidente do partido, que já foi preso pela Polícia Federal (PF). A primeira-dama do estado, Helena Witzel, é alvo de busca e apreensão

A ação é um desdobramento da Operação Placebo, deflagrada em maio, que apurava um suposto esquema de desvios de recursos públicos destinados ao combate ao coronavírus no estado. Conforme informações do portal G1, Lucas Tristão, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, também é procurado.

A Procuradoria-Geral da República (PGR), que pediu o afastamento de Witzel ao STJ, afirmou que o governo estabeleceu um esquema de propina para contratação emergencial e para liberação de pagamentos a organizações sociais que prestam serviços ao governo, especialmente na saúde e na educação.

Segundo o órgão, Witzel usou o escritório de advocacia da mulher para receber o dinheiro desviado por intermédio de quatro contratos simulados, em um valor próximo a R$ 500 mil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.