Porto Seguro, no litoral sul da Bahia, recebeu uma carga de 40 mil doses de hidroxicloroquina na manhã desta sexta-feira (3). O medicamento foi enviado a pedido de Jair Bolsonaro.

Nas redes sociais, o presidente da República informou que enviou as doses após o medido de uma médica baiana.

“Nunca recebi tantos vídeos no telefone. Viram a doutora Raissa Soares fazendo apelo a mim para que chegasse a hidroxicloroquina na tua cidade. Não tinha. Sabemos, por testemunho de pacientes e médicos, em grande parte do Brasil, que o tratamento da covid na fase inicial tem tido sucesso. Ela fez o apelo a nós, liguei para o Pazuello, ele assinou na quarta e hoje partiu o avião de São Paulo para Salvador. Está previsto para chegar sexta, por volta das 8h, 40 mil doses de hidroxicloroquina em Porto Seguro”, disse Bolsonaro, durante live realizada nas redes sociais, citando o general Eduardo Pazuello, ministro da Saúde.

Os medicamentos foram entregues para a própria médica, que informou que as doses serão distribuídas entre unidades de saúde em Porto Seguro e cidades da região, como Itapetinga, Itabela, Eunápolis e Itamaraju.

“Essa medicação é para Porto Seguro, mas também para outras localidades. Vou conversar com a Secretaria de Saúde do município para que essas doses sejam distribuídas pela região, para que ninguém precise se deslocar até Porto Seguro para se tratar”, disse a profissional de saúde em vídeo de agradecimento gravado para Bolsonaro.

“Eu, sozinha, falei com meu marido que gravaria um vídeo para o presidente, porque estávamos precisando do remédio e não estávamos conseguindo”, completou.

O CORREIO procurou a Prefeitura de Porto Seguro que, através da sua assessoria de comunicação, informou que os medicamentos serão destinados às 30 unidades de saúde, além de três Unidades de Pronto Atendimento, e para o Hospital Regional Luiz Eduardo Magalhães. “Em princípio, os medicamentos são para atender Porto Seguro, sem que haja um compromisso firmado em distribuir as doses para outras cidades. Os medicamentos serão entregues às unidades locais de acordo com a demanda de cada uma”, informou a assessoria.

Ainda não há nenhuma evidência científica de que a cloroquina ou a hidroxcloroquina têm eficácia contra a covid-19. (Correio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.