Um estudo da Universidade de Havard recomendou que casais que estão se relacionando sexualmente durante a pandemia devem realizar o ato usando máscaras. A pesquisa avaliou as implicações da doença para a saúde sexual das pessoas, classificando diferentes práticas, da ordem mais segura à menos segura em termos de propagação do vírus.

Em primeiro lugar nas práticas mais seguras está, obviamente, a abstinência, em segundo lugar a masturbação e em terceiro o sexo virtual, já que logicamente o contato físico contribui para a disseminação do vírus. A relação entre pessoas que moram na mesma casa está na quarta colocação.

Na última colocação da lista está a relação entre pessoas que vivem em casa diferentes, e é nesse caso que entra a recomendação da utilização das máscaras durante o ato. O estudo ainda aponta a importância dos parceiros tomarem banho antes e após a relação, além de limpar o local da relação com álcool.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.