Nesta última segunda-feira (20), o sacerdote Danilo Oliveira do terreiro Ilê Asé Babá Omin Alájàlêia usou as redes socias para denunciar que os terreiros de Candomblé da cidade de Camaçari foram excluidos do auxílio de cestas emergencias da prefeitura.
Segundo o Sacerdote, a classe do povo de Santo está totalmente revoltada com a violação de direitos básicos, obstrução de cidadania, intolerância religiosa por parte do governo do prefeito Elinaldo.  O sacerdote diz em nota que ” Teve uma decisão administrativa interna que só contemplaria Terreiros de Candomblé com CNPJ. Somos empresas? ou instituição religiosa?

” Meu centro religioso não precisa ser ONG necessitamos de fato de CNPJ já que nos encontramos registrados na FENACAB ou AFA, que são associações que nos representa? concluiu.

” Muitas familias dependendo de uma Roça de Candomblé em estado de extrema pobreza e simplesmente a maior parte dos Terreiros são excluidos.

“Secretária  Andréa Montenegro para que a  Secretaria de Desenvolvimento nos mobilizou para cadastro se não teriamos direito ao benefício assistencial? Questionou o sacerdote em nota nas redes socias. Ele conta que  “ Atualmente temos dez famílias sob nossa resposabilidade dentron de minha roça, pois somos lideres religiosos, verdadeiros Pais e Mães e simplesmente Prefeito de Camaçari, o senhor tira nosso direito ”

Eu, Babá Danilo d’ Oxalá, Sacerdote do Asé Alájàlê, me encontro decepcionado, em meio a Pandemia COVID 19 com a postura da SEDES, Banco de Alimentos e Secretaria de Governo, da Cidade de Camaçari. De fato houve Intolerância Religiosa, um verdeiro afronte as famílias de Terreiros. Fomos Cadastrado na base de Dados da Secretaria e aguardariamos o benefício da Cesta de Páscoa (Cesta Básica), simplesmente, fomos excluídos, pela justificativa de não possuir CNPJ. As famílias estão passando necessidade, residem em nossos Templos Religiosos, o que fazemos Senhor Prefeito? Direito adquirido quando o senhor telefonou para nossas casas pedindo documentos, preenchemos ficha cadastral, e ainda, aprovou o benefício aguardamos resposta.

 

4 thoughts on “Camaçari: Terreiros de Candomblé foram excluídos do auxílio alimentação da prefeitura em meio ao COVID-19”
  1. Infelizmente é a lei, todas as associações independentes de classe, categoria, etc…, necessita de CNPJ para auferir benefícios.

  2. Bom dia eu gostaria de que antes de colocar o senhor daniel de motao como defensor do povo de santo buscase saber se o povo do santo esta com ele pq nos povo de santo temos nome e sobre nome ok e nao vamos mais deixa forasteiros entrar em nossas casas levar o voto como varios ja fez e nao defender nenhum de nos ok

  3. *DANIEL DE MOTÃO: o pai que maltrata seus filhos e ama os do vizinho*

    Você deve conhecer ou ter vivenciado o típico caso do pai que é totalmente ausente dentro de casa, e chegar até a ser ruim para sua família, mas na rua faz de tudo pelos outros, idolatra e é idolatrado. Infelizmente, na política isso também é comum. Acusado de inúmeros casos de corrupção, negligências e assédios à categoria, Daniel de Motão é novamente candidato a vereadoro e é o atual Presidente do Sindicato dos Rodoviários de Camaçari (SINDROD). Respondendo a processos que vão desde a acusação de desvio de dinheiro para sua última campanha, ameaça à vida de parte da Diretoria do próprio Sindicato até a acusação de enriquecimento ilícito, a mais nova de Daniel agora é fingir que se preocupa com todo mundo.

    Primeiro, que para garantir sua candidatura, está tentando vender a categoria para ficar “bem na fita” com Elinaldo. Depois, está tentando figurar de engajado líder religioso, tentando falar pelo Povo de Santo e fazendo um gesto que esses, que reconhecem suas lideranças, nunca serão bobos de engolir. Daniel de Motão está divulgando que vai pedir a Elinaldo para incluir o Povo de Santo no auxílio emergencial da Prefeitura.

    Que fique claro que o problema não é ser a favor do Povo de Santo, até porque até aí é algo bom. Dentro do SINDROD há adeptos de religião de matriz africana, bem como de outras religiões. O SINDROD é a favor do trabalhador antes de qualquer coisa, e não é separado por religião. Pelo contrário, a fé também nos une.

    Mas o que acontece é que o atual Presidente NUNCA FEZ UM GESTO EM PROL DA CATEGORIA E AGORA QUER FINGIR QUE SE PREOCUPA COM OS OUTROS SEGMENTOS DA SOCIEDADE! Se você é motorista, cobrador, rodoviário ou cidadão, SE PERGUNTE O QUE ESSE FALSO LÍDER JÁ FEZ POR VOCÊ. Na CRISE DO CORONAVÍRUS, O QUE ELE PROPÔS PARA PROTEGER AS MÃES E PAIS DE FAMÍLIA que estão circulando e trabalhando quase que normalmente em meio a uma pandemia? NADA!

    Até hoje, tudo O QUE DANIEL FEZ PELOS RODOVIÁRIOS FOI PREJUDICAR, PASSAR A PERNA E DESMORALIZAR A NOSSA CATEGORIA. Guiado pelo seu novo mentor Elinaldo, não pensa na categoria, muito menos em religião. Pensando no próprio umbigo, DANIEL DE MOTÃO SÓ QUER SER ELEITO.

    *E SE COMO PRESIDENTE DO SINDICATO ELE JÁ NÃO PRESTA, IMAGINE COMO VEREADOR!*

    #ForaFalsoLíder #PorUmNovoSINDROD #oPovoDeSantoNãoÉBobo #RodoviáriosUnidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.