O youtuber e soldado da Polícia Militar, Gabriel Monteiro, afirmou na manhã desta quinta-feira (5), que perdeu o porte de armas e corre sérios riscos de ser expulso da PM após fazer denúncias em suas redes sociais contra coronéis da corporação.

Em uma publicação, o soldado divulgou um boletim em que consta uma sindicância aberta contra ele, na Corregedoria da PM do Rio de Janeiro, por transgressão disciplinar de natureza grave. A justificativa usada contra Gabriel é de que ele teria tratado o coronel reformado da PM, Ibis Pereira, de forma desrespeitosa, em duas ocasiões no final do ano passado.

+ Gabriel Monteiro denuncia plano de atentado contra PM

+ Gabriel Monteiro denuncia tentativa de expulsá-lo da PM

+ Gabriel Monteiro volta a sofrer ameaça pelas redes sociais

– Acabo de ser informado que não tenho mais porte de armas, estou no processo de expulsão da PM, porque questionei o coronel Ibis, ex-comandante geral da PM, por ter forte contato nas áreas do comando vermelho. É chocante, lutar contra a corrupção está me expulsando da PM – protestou.

As situações citadas foram gravadas pelo youtuber em seu canal. Nos vídeos, Gabriel denunciou o fato do ex-comandante da PM ter entrado no Complexo da Maré, um dos conjuntos de favela com maior confronto entre policiais e traficantes no Rio de Janeiro, e não ter sofrido qualquer ferimento.

Pelo Twitter, Gabriel pediu o apoio de seus seguidores através da #somostodosgabrielmonteiro. Rapidamente, o tópico se tornou o assunto mais comentado do país, com usuários pedindo uma resposta da PM fluminense sobre o processo envolvendo o youtuber. Ainda pela rede social, ele falou sobre os riscos que tem corrido por estar sem o porte de armas.

– Se eu morrer, saibam que os maiores responsáveis estão na alta cúpula da PM. Após questionar coronéis que geram suspeitas populares de corrupção, perdi o porte de armas e estou no processo de expulsão da PM. Mesmo sendo o mais ameaçado pelas facções! – escreveu.

Gabriel Monteiro falou que tem sofrido ameaças Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.