Em 2016, o Ministério Público estadual, por meio da promotora de Justiça Edna Márcia de Oliveira, ajuizou ação civil pública contra o prefeito de Irecê, Luiz Pimentel Sobral, e contra a Gradus Assessoria e Consultoria Contábil Ltda.

O motivo é que Luizinho foi acusado de cometer ato de improbidade administrativa ao contratar a empresa mediante inexigibilidade licitação para prestar serviço público de contabilidade. A nota, no site do MP-BA, pode ser vista aqui.

Pois bem.

Nesta semana, no Diário Oficial do Município de Lauro de Freitas, consta que a prefeita Moema Gramacho (PT) prorrogou o contrato com a mesma empresa de assessoria contábil, por 12 meses, também por “inexigibilidade de licitação“, para “serviços técnicos especializados de assessoria e consultoria contábil para a Secretária da Fazenda”.

Atenção, Ministério Público da Bahia. Lauro de Freitas é logo ali.

Fonte: Politica ao vivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.