Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta quinta-feira, o senador Flávio Bolsonaro deu sua versão sobre as transações financeiras investigadas pelo Ministério Público (MP) do Rio em operação na última quarta-feira em endereços ligados a ele, ao seu ex-assessor Fabrício Queiroz e aos parentes da ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle. A apuração do MP está relacionada à suposta prática de rachadinha no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), no período em que ele atuou como deputado estadual.

Um dos pontos abordados por Flávio diz respeito aos depósitos recebidos na conta de sua loja de chocolates localizada em um shopping da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, e feitos pelo sargento da Polícia Militar do Rio Diego Sodré de Castro Ambrósio. Os valores dos repasses variaram entre R$ 2,3 mil e R$ 5,6 mil, entre dezembro de 2015 e janeiro de 2018, quase sempre no fim do ano. Ao todo, a empresa de Flávio recebeu R$ 21,1 mil do PM. O parlamentar afirma que o dinheiro era referente ao pagamento de produtos da loja, adquiridos por Ambrósio para presentar clientes nas festividades do mês de dezembro.(…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.