O deputado federal Daniel Silveira (PSL) e uma mulher se desentenderam na última sexta-feira (6) na lanchonete de uma universidade particular onde o político estuda em Petrópolis (RJ) e trocaram cusparadas e ofensas.

Um vídeo da discussão foi gravado pelo próprio parlamentar e está circulando nas redes sociais.

“Tô aqui quieto na faculdade tomando meu café, não sei o nome dessa cidadã. Ela falou que aqui é mal frequentado. Me olhando […]”

A mulher diz que o deputado a chamou de gorda. “Fala que você me chamou de gorda”, disse.

“Eu? Opa, você tá falando por mim. Imagina se eu te ofendo falando que você tá obesa. O que é fato, mas isso não me diz respeito, eu poderia atacá-la dessa maneira, mas ela me atacou diretamente”, respondeu Daniel.

“Você é ridículo, fascistas não passarão”, disse a mulher, que logo após, cospe no deputado.

“Se você me cuspir eu vou te levar presa. Faz de novo pra você ver se eu não te algemo e te levo presa aqui”, ameaça o parlamentar.

“Me algema, me algema”, diz a mulher.

O deputado então cospe na mulher, que depois cospe nele pela segunda vez. Após a segunda cuspida da mulher, o parlamente a empurra

“Você me bateu”, reclamou a mulher. “Estou te empurrando para você sair de cima de mim”, diz o deputado.

No final do vídeo, a mulher ameaça chamar a polícia, e ele diz para ela chamar.

Nenhum registro de ocorrência sobre o caso foi realizado.

A assessoria do deputado informou que a mulher “não registrou ocorrência alguma, pelo menos até este momento, pois nem mesmo os colegas de turma da faculdade a apoiaram na sua agressão ao deputado. Quando ela viu que exagerou na dose, simplesmente foi embora”.

A universidade lamentou o ocorrido e disse que repudia qualquer ato de violência.

“Este caso não reflete os valores praticados dentro da instituição. Além do compromisso de formar alunos preparados para o mercado de trabalho, está entre sua missão formar cidadãos conscientes do seu papel transformador na sociedade. É importante ressaltar que nenhum dos envolvidos procurou a direção do campus para relatar o ocorrido”, diz a nota da instituição de ensino.

A mulher que aparece no vídeo divulgou uma nota sobre o assunto.

“Na tarde de sexta-feira, na cantina da faculdade onde estudo, comentei com o funcionário do caixa que o ambiente estava mal frequentado. Meu comentário foi realizado em tom baixo, somente para o funcionário, e sem qualquer intenção de que fosse ouvido por outras pessoas. No entanto, o deputado, que já me conhecia desde 2014 e sabia de minhas posições políticas, levantou-se em minha direção perguntando se eu estava falando dele. Em seguida, disse que o ambiente estava frequentado por receber uma pessoa gorda como eu. Disse, ainda, que eu era vagabunda e usuária de drogas. Em resposta, eu afirmei que esse não era o comportamento de uma pessoa pública. Ao ouvir isso, o deputado disse que, como ele era pessoa pública, ia transmitir a discussão ao vivo, e iniciou sua ‘live’ no Facebook”, diz parte da nota.

A mulher também relatou estar sofrendo ameaças na redes sociais.

“Depois desse episódio, minhas redes sociais foram atacadas por seguidores do deputado, que proferiram diversas ofensas e ameaças. Estou com medo e, por isso, não vou gravar nenhum vídeo a respeito, pois receio pela segurança da minha família. Estou estudando a possibilidade de ingressar com uma ação de indenização por danos morais, pois o deputado fez uso indevido de minha imagem, o que viola o artigo 5º inciso X da Constituição, bem como o artigo 20 do Código Civil. No entanto, essa decisão será tomada em conjunto com minha família, pois, como já disse, estou sofrendo muitas ameaças virtuais”, diz outro trecho da nota.

Outras polêmicas

Daniel Silveira é policial militar e foi eleito deputado federal em 2018 com 31.789 votos.

O deputado também se envolveu em polêmica quando entrou em uma Escola no Rio de Janeiro, para fazer o que seria uma “vistoria”

Durante a eleição, o parlamentar apareceu em um vídeo que viralizou e mostrava uma placa quebrada com o nome da vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada em março de 2018.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.