Liderado na Bahia pelo vice-governador João Leão, o PP (Progressistas) estuda lançar as candidaturas dos deputados estaduais Niltinho e Júnior Muniz para as prefeituras de Salvador e Camaçari, respectivamente, nas eleições de 2020.
O site BNews, de Salvador apurou junto a fontes do partido que Niltinho é opção ao deputado federal Cacá Leão, apontado como principal nome da sigla para a disputa pelo comando da capital baiana. No primeiro mandato, o estadual também é cogitado para concorrer a prefeito de Madre de Deus, mas tem recusado as sondagens. 
Ele ainda teria sido designado por João Leão para coordenar a estratégia do PP para a Região Metropolitana de Salvador (RMS) no próximo pleito. O objetivo da sigla é manter o comando de cidades consideradas chave, como São Francisco do Conde e Candeias. 
Já em Camaçari, Júnior Muniz pode ser um nome tanto do Progressistas como de outro partido. Ele disse ter recebido convite do deputado estadual João Isidório para ser candidato pelo Avante, presidido no estado por seu pai, o deputado federal Pastor Sargento Isidório. “Estou estudando e cogitando a possibilidade de ser candidato em Camaçari”, admitiu o parlamentar. 
Dentro do PP, ele precisaria enfrentar a concorrência do empresário Fábio Lima, que já foi lançado por Niltinho como pré-candidato da legenda para Camaçari. No entanto, a reportagem ouviu de uma fonte ligada aos dois parlamentares que pode surgir entre eles uma articulação para viabilizar seus nomes. Ela consistiria em uma troca: Niltinho apoiaria internamente Muniz para Camaçari, enquanto Muniz faria o mesmo com o correligionário para Salvador. 
Ex-assessor do ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), Muniz pretende conversar com o petista sobre suas pretensões políticas para 2020. O objetivo é obter apoio dele ou, pelo menos, evitar algum tipo de constrangimento na campanha eleitoral, já que seu ex-chefe pretende se lançar ou colocar a atual mulher, Ivoneide Caetano, na disputa. Para concorrer, ele precisará resolver problemas com a Justiça, já que se tornou inelegível por ter sido enquadrado na Lei da Ficha Limpa porque foi condenado em segunda instância.

Fotos :: Montagem/ BNews / Bruno Luiz e Eliezer Santo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.