Sexta- feira 13 na educação de Lauro de Freitas 700 profissionais em regime REDA são demitidos pela Prefeitura.

Segundo uma nota divulgada nesta sexta-feira (13), pela ASPROLF Sindicato dos Trabalhadores em educação de Lauro de Freitas.

A Prefeitura de Lauro de Freitas demitiu hoje cerca de 700 profissionais em educação, contratados sob o Regime Especial de Direito Administrativo (REDA). Os serviodores foram demitidos sem nenhum aviso anterior, antes do fim do contrato e antes do término do ano letivo.

Desconsiderando a tradição democrática das comissões paritárias para o tratamento dos temas relativos à Educação e aos seus servidores, a SEMED de modo unilateral opta pela demissão dos profissionais temporários antes do fim do ano letivo (20 de dezembro) e põe em risco o início do ano letivo de 2020.

Sabemos que a manutenção desses servidores contribui para uma maior estabilidade da Rede, uma vez que os mesmos já estão ambientados, vide as inúmeras mostras pedagógicas feitas, como, por exemplo, a mostra relativa ao trabalho desenvolvido através da disciplina “História e Cultura afro indígena”. Essa decisão tomada de modo surpreendente, sem o chamado da entidade sindical fragiliza a democracia no município e precariza o trabalho docente.

O Sindicato, desde já, coloca-se a disposição dos profissionais que tiveram seus contratos rescindidos para auxiliá-los no que se refere aos valores rescisórios e reafirma a decisão do nosso último Congresso que não mais permitiremos o tamanho desrespeito que tais contratos submetem professoras e professores que constroem a educação publica deste município. Exigimos que o Concurso Público seja realizado o mais rápido possível. Exigimos também que o processo seletivo REDA se inicie já, a fim de não prejudicar o início do ano letivo de 2020 e que tal contrato respeite a lei nacional do piso que estabelece valor salarial mínimo e tempo mínimo de 1/3 da jornada para planejamento e estudos.

Fonte: ASPROLF

Foto: Reprodução

Um comentário em “Sexta- feira 13 na educação de Lauro de Freitas 700 profissionais em regime REDA são demitidos pela Prefeitura.

  • dezembro 14, 2019 em 11:20 am
    Permalink

    A reportaagem, no que se refere as declarações da ASPROLF, esqueceu de informar que já existe uma espera dos classificados do Edital 002/2019 e por tanto não procede fazer o outro Processo seletivo REDA e sim, o concurso para efetivos. Lembrando também, que a prefeitaita tem que pagar para efeito recisóriio o valor de acordo com a data que esta assinado o termino do contrato 20/02/2020, se não, temos que entrar na justiça. Essa prefeitura é uma piada devia ser qualquer partido menos do PT

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *